Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

Serviço Remédio em Casa é ampliado na Rede Estadual da Saúde do Paraná

Data: 21/08/2020

Nesta semana o serviço de entrega de medicamentos começou a ser oferecido pela 17ª Regional de Saúde, sediada em Londrina, para residentes do município. O serviço teve início no último, 17/08, buscando alcançar mil pacientes até o fim deste ano.
 
Esta é a segunda farmácia do Governo do Estado que oferta a entrega em domicílio. Através da parceria com a Secretaria de Saúde do município a prestação deste serviço foi introduzido na 10ª Regional de Cascavel, em abril. Atualmente aproximadamente 820 pacientes estão sendo contemplados. 
 
Os Correios realizaram mais de 6 mil entregas a usuários cadastrados na farmácia da 2ª Regional de Saúde e residentes em Curitiba já estavam sendo beneficiados pelo serviço Remédio em Casa. “A estratégia faz parte da regionalização da Saúde no Paraná, que é uma das principais metas do Governo. Estamos levando a assistência e os serviços especializados para perto da casa do cidadão”, afirma o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.
 
A rede estadual da Secretaria da Saúde é composta por 23 farmácias locadas nas 22 Regionais de saúde, as quais contemplam 260 mil usuários cadastrados para o recebimento de 280 itens (medicamentos e insumos) elencados na lista do componente especializado da assistência farmacêutica e elenco complementar. 
 
“A ampliação do Remédio em Casa é um compromisso da Secretaria da Saúde com a população, foi assumido no Plano Estadual de Saúde, que rege as ações da Secretaria até o ano de 2023”, acrescenta Beto. Existe a previsão de que outras oito farmácias de Regionais de Saúde disponibilize o serviço até o final do período citado pelo secretário.
 
A estrutura das farmácias foi pensada para oferecer este serviço à população, os servidores foram capacitados para executar a prestação do Remédio em Casa, como explica, Deise Pontarolli, coordenadora da Assistência Farmacêutica do Paraná. “A infraestrutura necessária é simples, porém os procedimentos de trabalho para a operacionalização precisam ser minuciosos, com registros em sistema informatizado, de modo que o processo seja feito com segurança. O elenco de medicamentos é bem diversificado, mas não se incluem nesta entrega os que necessitam de refrigeração e nem os classificados sob controle especial”, afirma.
 
Muitos pacientes são doentes crônicos e possuem dificuldade para acessar às farmácias. A coordenadora aponta que o propósito final é fornecer um ótimo atendimento ao usuário. “Neste período de pandemia da Covid-19 esta estratégia tem sido especialmente útil, pois permite que muitos pacientes, que fazem parte do grupo de risco, não precisem se deslocar até as farmácias para buscar seus medicamentos. Isso também contribui para diminuir o número de usuários que frequentam as farmácias, viabilizando o distanciamento social recomendado, de modo a preservar a saúde tanto dos usuários quanto dos servidores”, conclui a coordenadora.
 
“Iniciativas como esta apontam para real necessidade da participação constante de Farmacêuticos na cadeia da assistência farmacêutica no âmbito do SUS”, afirma o conselheiro Federal de Farmácia pelo Estado do Paraná, Gustavo Pires.
 
FONTE: Comunicação CFF com informações do Governo do Estado do Paraná/Agência de Notícias

Fotos Relacionadas





TV CFF















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700