17/10/2009 - A aprovação do Ato Médico e a posição dos farmacêuticos

A Câmara Federal aprovou na última quarta-feira, na Comissão de Seguridade Social e Família, o Projeto de Lei 7703/06. Ele passa a definir a área de atuação, as atividades privativas e os cargos privativos dos médicos, também conhecido como “Ato Médico”. Segundo o relator Eleuses Paiva, o projeto só foi aprovado porque contou com a participação do líder do DEM, o deputado federal Ronaldo Caiado, já que foi ele quem colocou o projeto em regime de urgência em setembro. Caiado não esconde a satisfação e diz que esse foi “um sonho realizado”:
– Uma luta com final fantástico para nossa classe.
***
... e a posição dos farmacêuticos
Já o Conselho Federal de Farmácia, por meio do seu presidente, o farmacêutico Jaldo de Souza, diz que não abre mão das prerrogativas dos farmacêuticos bioquímicos em fazer exames citopatológicos e assinar seus laudos, já que o “Ato Médico” assina como privativo do médico o exame, contrário do que já foi aprovado no Senado.
– Iremos até as últimas consequências legislativas e judiciárias – ameaça.
Jaldo diz que lamenta a postura do deputado Ronaldo Caiado, que na Câmara não representou o povo:
– Mas sim, corporativamente, a classe médica.
 

Fonte: Jornal Diário da Manhã
Autor: Ulisses Aesse

Fotos Relacionadas

Fotográfo: http://jornalismob.files.wordpress.com/2008/10/ma_jornal.jpg