Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Pergunta 7335/2012

Pergunta 7335/2012

Existem evidências sobre a estabilidade de soluções injetáveis de polivitamínicos em misturas de nutrição parenteral de sistema aberto? A adição deste insumo reduz o prazo de validade da mistura?

Resposta:

As soluções para nutrição parenteral são compostas basicamente por aminoácidos, glicose, eletrólitos e, em algumas ocasiões, vitaminas e lipídios.

Os polivitamínicos são compatíveis com soluções de glicose 5% e 10%, cloreto de sódio 0,9%, Ringer + lactato, emulsão lipídica e solução para nutrição parenteral; são incompatíveis com meropenem e pantoprazol (FTN 2010).

A degradação mais rápida de vitaminas em relação aos demais ingredientes da nutrição parenteral compromete a estabilidade das soluções que as contenha, implicando em menor prazo de validade (Inaraja, 2001).

Vitaminas são degradadas em torno de 24-48 horas, por isso é preferível introduzi-las na nutrição parenteral imediatamente antes da administração no paciente (Brown, 1992).

A vitamina A sofre degradação e adsorção na parede da bolsa plástica.(Inaraja,2001)

A degradação do ácido ascórbico produz ácido oxálico, que reage com cálcio produzindo precipitação de oxalato de cálcio. A degradação do ácido ascórbico está relacionada com a quantidade de oxigênio na solução (Inaraja, 2001)

A tiamina pode degradar-se em presença de bissulfito de sódio, dependendo da concentração do bissulfito. Concentrações superiores a 3 mEq/L produzem uma degradação significativa da tiamina e também da vitamina A (Inaraja,2001).

A presença de oligoelementos pode acelerar a degradação das vitaminas hidrossolúveis, por isso, recomenda-se alternar a administração de oligoelementos e vitaminas, não formulando-as juntas na mesma solução (Inaraja,2001).

A degradação das vitaminas são influenciadas pelo pH, a luz ultravioleta e a temperatura. Para se evitar esse problema, recomenda-se a adição das vitaminas imediatamente antes da infusão no paciente (Inaraja, 2001).

Seguem medidas gerais para favorecer a estabilidade das soluções para nutrição parenteral:

- Evitar a presença de ácido fólico com os íons cálcio ou oligoelementos na mesma solução.
- Evitar o uso de bicarbonato de sódio, dando preferência ao uso de acetatos ou lactatos de sódio.
- Em função das interações, recomenda-se separar a administração de vitaminas e oligoelementos.
- Quando possível, manter as vitaminas C e B12 em frascos separados.
- Não adicionar vitamina K às soluções.
- Observar quaisquer alterações nas características das soluções (cor, transparência, precipitação).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Brown RT (ed). Handbook of Institutional Pharmacy Practice, Third Edition. Bethesda: ASHP, 1992, p.207.

2. Inajara MT, Castro I, Martinez MJ. Formas farmacéuticas estériles: mezclas intravenosas, citostáticos, nutrición parenteral. In: FARMACIA HOSPITALARIA. Disponível em:
http://www.sefh.es/bibliotecavirtual/fhtomo1/cap272.pdf. Acesso em: 09.03.2012, p. 502-503.

 

18.10.2012.

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700