Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Deficiência de vitamina D está ligada a doenças graves em crianças

Data: 08/08/2012

Tomar 15 minutos de banho de sol, no período da manhã, é recomendação que pediatra nenhum dispensa ? o cuidado é essencial para que haja a sintetização de vitamina D, relacionada à absorção de cálcio e, portanto, ao fortalecimento dos ossos do bebê. A partir dos 30 dias de nascido, ele já está pronto para sair de casa e dar uma voltinha na quadra ou mesmo no jardim. Mas, se você anda com preguiça de passear com seu filho, melhor ficar de olho nas descobertas recentes dos pesquisadores.

Dois estudos que acabam de sair, realizados pela Harvard Medical School (EUA) e pelo Hospital Infantil de Ontário (EUA), mostram que crianças com deficiência em vitamina D são mais propensas a ficarem doentes e a passarem mais tempo internadas do que aquelas que apresentavam níveis normais do nutriente. Ambos os resultados serão publicados na edição de setembro da revista Pediatrics.

Os pesquisadores de Havard avaliaram a quantidade de vitamina D em cerca de 500 crianças, entre 5 e 9 anos de idade, internadas na unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP) do Hospital Infantil de Boston, durante um período de 12 meses. Eles descobriram que duas em cada cinco crianças (40%) eram deficientes em vitamina D e que as taxas mais baixas eram relacionadas à baixa imunidade e a doenças mais graves.

No segundo estudo, os autores analisaram cerca de 300 crianças e adolescentes, entre 11 e 15 anos de idade, que deram entrada no Hospital de Ontário, gravemente doentes. Nesse grupo, quase 70% dos participantes eram deficientes em vitamina D e as taxas foram associadas com longas estadias na UTI e doenças mais graves. Em ambos os estudos, a deficiência de vitamina D se mostrou mais comum do que tem sido relatada em crianças e adolescentes saudáveis.

Os padrões de consumo de vitamina D usados no estudo são recomendações da Academia Americana de Pediatria (AAP), que propõe a ingestão diária de 400 unidades internacionais (UI) de vitamina D por dia. Os estudiosos afirmam que ainda não está clara a ligação entre deficiência de vitamina D e crianças mais doentes, não sendo possível estabelecer uma relação de causa e efeito.

Tire suas dúvidas sobre o consumo de vitamina D

A deficiência da vitamina D causa raquitismo em crianças e osteopenia e osteoporose em adultos. Além disso, a cada dia surgem estudos apontando o papel dessa substância na prevenção de doenças, como insuficiência coronariana e diabetes, por exemplo. Aprenda os cuidados necessários para manter os níveis adequados de vitamina D e proteja-se dessas doenças:

Quanto de vitamina D devemos consumir por dia?

Segundo a U.S. Dietary Reference Intake (DRI), ingestão de vitamina D deve obedecer a seguinte regra: crianças de 1 a 13 anos devem ingerir 10mcg por dia; homens de 13 a 50 anos devem consumir de 5 a 10 mcg/dia; homens de 51 a 70 devem consumir 15 mcg/dia; mulheres de 13 a 50 anos devem consumir 5 mcg/dia e mulheres de 51 a 70 anos, 10 mcg/dia.

Em que tipo de alimentos a vitamina D é abundante?

Peixes como o atum, o arenque e a sardinha, gema de ovo, óleo de fígado de bacalhau, leite integral, manteiga e iogurte são boas fontes. "Essa vitamina está presente em alimentos gordurosos, por isso é bom tomar cuidado com as quantidades de consumo", afirma o nutrólogo Roberto Navarro, da Associação Brasileira de Nutrologia, de São Paulo.

Quanto tempo de exposição ao sol é necessário para a síntese da vitamina?

A exposição ao sol é fundamental para que o organismo consiga aproveitar a vitamina D que você consome. Recomenda-se a exposição solar três vezes por semana por um período de 15 a 30 minutos, no caso dos adultos. O melhor período para isso é até as 10h e após as 16h. Crianças devem passar, no máximo, dez minutos embaixo do sol e,a te os seis meses de idade, não podem usar filtro solar ? a pele do bebê é sensível demais para receber esse tipo de produto.

O exame de sangue indica quando há necessidade de suplementação. Caso os níveis de vitamina D estejam abaixo de 30 nanogramas por decilitro, pode ser feito o uso de suplementação.

A vitamina D ajuda na absorção de até que quantidade de cálcio?

De 1.000 a 1.500 mg por dia para adultos e de 1200 a 1500mg por dia para crianças, que são as quantidades diárias recomendas do nutriente. "Os leites e produtos lácteos são as melhores fontes do mineral, porém folhas verde-escuras, semente de gergelim, soja, sardinha, salmão e quinua também são boas fontes de cálcio", afirma a nutricionista Thais Souza, da rede Mundo Verde.

Fonte: Portal Uol
Autor: Portal Uol

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700