Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

O imprescindível analista clínico

Data: 29/09/2008

 

O Presidente do Conselho Federal de Farmácia, Jaldo de Souza Santos, anunciou o fortalecimento da política do órgão, de fomento à qualificação profissional, com a reativação da Fundação Brasileira de Ciências Farmacêuticas, pertencente ao Conselho. O anúncio foi feito, no dia 28.09.08, em Fortaleza (CE), durante o discurso que proferiu na abertura do "20º Congresso Internacional de Química Clínica e Medicina Laboratorial", "35º Congresso Brasileiro de Análises Clínicas" e "8º Congresso Brasileiro de Citologia Clínica". Os eventos vão até amanhã (terça).
 
Souza Santos destacou a "feliz" aliança que a SBAC (Sociedade Brasileira de análises Clínicas) firmou com a Federação Internacional de Química Clínica e Medicina Laboratorial, graças à qual está sendo possível a realização do Congresso Internacional, no Brasil. Desde 1971, a SBAC realiza o Congresso Brasileiro de Análises Clínicas (CBAC), com o objetivo de aprimorar o conhecimento técnico dos analistas clínicos e apresentar, na área de exposição, os mais recentes equipamentos, produtos e serviços do setor.
 
Para o Presidente do Conselho Federal de Farmácia, não há sociedade, no mundo, capaz de obter qualquer conquista, no setor de saúde, se ela não contar com os serviços dos analistas clínicos. "E a medicina não alcançaria tanta exatidão nos diagnósticos, nem ofereceria segurança aos pacientes, não fossem os modernos exames laboratoriais. Por isso, são tão imprescindíveis", arrematou Dr. Jaldo.
 
"Eu costumo dizer que o analista clínico é o anjo da guarda do paciente, porque ele está, sempre, na retaguarda do tratamento. O seu olhar 'microscópico' e o seu ilimitado conhecimento e capacidade de interpretar os exames são as chaves que abrem o tesouro onde estão abrigadas as respostas bioquímicas para a elucidação das doenças", comentou o dirigente do CFF.
 
CONQUISTAS - As análises clínicas, no Brasil, de acordo com Souza Santos, vivem um momento positivo, devido às vitórias conquistadas. Deu como exemplo recuperação econômica do setor. Os laboratórios foram contemplados com a sua inclusão no Imposto Super Simples e se beneficiaram, também, com a desoneração tributária no Imposto de Renda, com a redução de 32% para 8% da carga que pesa sobre o setor.
 
Ele citou, ainda, como conquistas o rol de procedimentos e o referencial ético para os laboratórios clínicos, em discussão, no CFF. Ambos referem-se aos honorários profissionais dos analistas clínicos.
 
QUALIFICAÇÃO - Sobre o fomento à qualificação, o Presidente aproveitou para anunciar a reativação da Fundação Brasileira de Ciências Farmacêuticas, órgão pertencente ao CFF. A Fundação será voltada exclusivamente à promoção e difusão dos conhecimentos técnicos e científicos farmacêuticos. "Além de dar agilidade ao CFF, para que o órgão ponha em prática a sua política na área da educação farmacêutica, a Fundação irá universalizar o acesso dos profissionais aos nossos cursos", comemorou.
 
Para Dr. Jaldo de Souza Santos, "o farmacêutico analista clínico bem qualificado é uma fonte de bons serviços que precisa ser valorizada pelas autoridades sanitárias e pelo mercado. Ele deve ser melhor aproveitada pela sociedade".
 
TEMAS - O Congresso Brasileiro de Análises Clínicas tem um temário bastante diverso. Ele está dividido por seis subáreas: Hematologia, Imunologia, Bioquímica, Microbiologia, Gestão Estratégica e da Qualidade, Biologia Molecular, Parasitologia e Especialidades Diversas. Paralelamente aos Congressos, o evento contará com uma área de exposição, na qual cerca de 104 empresas apresentarão as mais recentes novidades do setor laboratorial.
 
DIRCURSO NA ÍNTEGRA - Veja, na íntegra, o pronunciamento do Presidente do CFF, Jaldo de Souza Santos, na abertura do "20º Congresso Internacional de Química Clínica", "35º Congresso Brasileiro de Análises Clínicas" e "8º Congresso Brasileiro de Citologia Clínica".
 
 
PRONUNCIAMENTO DO PRESIDENTE DO CONSELHO FEDERAL DE
FARMÁCIA (CFF), JALDO DE SOUZA SANTOS, NO XX CONGRESSO INTERNACIONAL DE QUÍMICA CLÍNICA E MEDICINA
LABORATORIAL, 35º CONGRESSO BRASILEIRO DE ANÁLISES
CLÍNICAS E 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE CITOLOGIA CLÍNICA, REALIZADOS, EM FORTALEZA (CE), DE 28.09.08 A 02.10.08.
 
 
            Senhoras e senhores,
 
            Quero, primeiramente, parabenizar, na pessoa do Dr. Ulisses Tuma, Presidente da SBAC (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas), a todos os que deram de si em favor da realização, aqui em Fortaleza, do XX Congresso Internacional de Química Clínica e Medicina Laboratorial, que acontece paralelamente ao 35º Congresso Brasileiro de Análises Clínicas e ao 8º Congresso Brasileiro de Citologia Clínica.
 
É oportuno destacar a feliz aliança que a SBAC firmou com a Federação Internacional de Química Clínica e Medicina Laboratorial, graças à qual está sendo possível a realização do Congresso Internacional, no Brasil.
 
Estou honrado e feliz de estar, aqui, entre os senhores, que são profissionais identificados com três sentidos: o da qualificação, da excelência e da imprescindibilidade.
 
Não há sociedade, no mundo, que imprima qualquer conquista no setor de saúde, se não contar com os serviços dos analistas clínicos. E a medicina não alcançaria tanta exatidão nos diagnósticos, nem ofereceria segurança aos pacientes, não fossem os modernos exames laboratoriais. Por isso, são tão imprescindíveis.
 
Eu costumo dizer que o analista clínico é o anjo da guarda do paciente, porque ele está, sempre, na retaguarda do tratamento. O seu olhar “microscópico” e o seu ilimitado conhecimento e capacidade de interpretar os exames são as chaves que abrem o tesouro onde estão abrigadas as respostas bioquímicas para a elucidação das doenças.
 
As análises clínicas, no Brasil, vivem um momento auspicioso, marcado por conquistas expressivas, principalmente, no campo de sua recuperação econômica.
 
Nesse sentido, os laboratórios foram contemplados com a sua inclusão no Imposto Super Simples e se beneficiaram também com a desoneração tributária no Imposto de Renda, com a redução de 32% para 8% da carga que pesa sobre o setor.
 
 
Outra conquista fundamental para o setor está em discussão, no Conselho Federal de Farmácia (CFF). Trata-se do rol de procedimentos e um referencial ético para os laboratórios clínicos. Ambos referem-se aos honorários profissionais dos analistas clínicos.
 
Aproveito para salientar que o CFF continua em sua luta sem trégua para fomentar a qualificação profissional do farmacêutico-bioquímico. Em tempo, aproveito para anunciar a reativação da Fundação Brasileira de Ciências Farmacêuticas, órgão pertencente ao CFF.
 
A Fundação será completamente focada na promoção e difusão dos conhecimentos técnicos e científicos farmacêuticos.
 
Estamos comemorando a reativação de nossa Fundação, porque ela dará agilidade ao CFF, para que o órgão ponha em prática a sua política na área da educação farmacêutica, além de universalizar o acesso dos profissionais aos nossos cursos.
 
O farmacêutico analista clínico bem qualificado é uma fonte de bons serviços que precisa ser valorizada pelas autoridades sanitárias e pelo mercado, e deve ser melhor aproveitada pela sociedade.
 
Desejo a todos os senhores uma participação proveitosa nos Congressos.
 
Muito obrigado.
 
Jaldo de Souza Santos,
Presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF).
 
(E-mail presidência@cff.org.br)

Fonte: CFF
Autor: Veruska Narikawa

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700