Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

CFF e Abifisa promovem Fórum Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos

Data: 13/09/2017

O Conselho Federal de Farmácia (CFF), em parceria com a Associação Brasileira das Empresas do Setor Fitoterápico, Suplemento Alimentar e de Promoção da Saúde (Abifisa), realizam, nesta quinta e sexta-feira, dias 14 e 15 de setembro, em Brasília, o Fórum Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Coordenado pelo Grupo de Trabalho sobre Fitoterapia do CFF, o evento reúne pesquisadores nacionais e internacionais para apresentar avanços no setor nos últimos anos e discutir questões relacionadas à cadeia produtiva de plantas medicinais e fitoterápicos, assim como tratar esse tema atual e polêmico que é o uso terapêutico dos canabinóides no Brasil.

Diversos países do mundo vêm alterando as suas legislações e se tornando mais permissivos quanto ao uso geral da planta Cannabis Sativa, como Uruguai, Holanda, Israel, Canadá e alguns Estados dos EUA. No Brasil, a discussão tomou outro rumo, sendo tratada exclusivamente em seu uso medicinal, o que ressalta a necessidade de pesquisas científicas sobre o assunto. Ao apresentar um cunho estritamente científico, o CFF pretende desmistificar o tema e demonstrar que é possível tratar este assunto de forma técnica e séria, abordando temas extremamente complexos e inovadores.

Em decorrência da RDC nº 17/2015, da Anvisa e de suas atualizações, são crescentes a desinformação e o desconhecimento sobre a utilização dos canabinóides com finalidade farmacoterapêutica. De acordo com a coordenadora do GT sobre Fitoterapia do CFF, Margarete Akemi Kishi, neste cenário de crescente demanda nas importações e de avanço em pesquisas técnico-científicas, no Brasil, torna-se urgente e necessária a manifestação dos conselhos federais de classes. “Precisamos trazer clareza a este tema complexo e de difícil avaliação, dada a sua situação regulatória, aos diversos profissionais que lidam diariamente com questões éticas, práticas e de pesquisa frente à suas profissões”, diz a coordenadora.

De acordo com Margarete, ao realizar este Fórum, o CFF assume a missão de difundir a fitoterapia, de forma técnica, visando ao paciente. Com relação especificamente aos canabinóides, ela explica que é preciso regulamentar, para garantir que esse medicamento, além de chegar ao paciente com uma boa qualidade e por prescrição médica, chegue com uma orientação farmacêutica, também. “Não adianta ter um produto com qualidade, se o paciente não souber utilizá-lo. Temos uma força farmacêutica gigante para poder orientar os pacientes usuários, e elevar esse diálogo, pois não estamos falando de folhas de Cannabis, mas de um medicamento fitoterápico, que é um grande instrumento para algumas doenças negligenciadas, como a anemia falciforme”.

O vice-presidente do CFF, Dr. Valmir de Santi, representando o presidente do Conselho Federal, Dr. Walter da Silva Jorge João, destacou em seu discurso de abertura do evento que a autarquia vem fazendo com que o farmacêutico assuma novos papéis, por meio da publicação de diversas resoluções nos últimos anos. “O papel do CFF tem sido de apoiar e de estar presente na regulamentação de áreas da saúde que envolvem os farmacêuticos, não apenas como aquele que fabrica ou dispensa medicamentos, mas como promotores de saúde que cuida de pessoas”, informou o Dr. Valmir.

Para o vice-presidente, esse momento de discutir a fitoterapia e o uso medicinal do canabidiol é muito importante, especialmente pela situação por que passa a saúde brasileira, com altos custos dos medicamentos industrializados. Ele ressaltou as possibilidades que o mercado do canabidiol oferece, de produzir e importar, e ter, no País, produtos muito mais baratos do que os disponíveis hoje. “A gente também se envolve em assuntos como este, porque trazem benefícios para a sociedade brasileira. Por isso, eu espero que este não seja apenas um evento, mas um marco para a regulamentação de toda essa área que todos, aqui presentes, tanto buscam”.

O vice-presidente do conselho diretivo da Abifisa, Dr. Elzo Velani, agradeceu a oportunidade de mostrar o trabalho da associação e apresentar números do mercado farmacêutico e fitoterápico, no Brasil. Segundo ele, enquanto o País possui o maior cenário propício para a produção plantas medicinais e fitoterápicos - não só para a população brasileira como para exportar o excedente - pesquisas recentes demonstram que o mercado está encolhendo. “Dados de 2008, mostram que nós tínhamos 512 medicamentos, com 117 indústrias produzindo. Em 2016, nós registramos 353 medicamentos, e apenas 77 indústrias. Números que nos alertam para uma análise detalhada e para buscar soluções”.

De acordo com Elzo, o Brasil possui o cenário perfeito, com a infraestrutura ideal para a produção, desde o recurso natural ‘terra’, às pesquisas das universidades, a Anvisa com a maior competência possível, uma política nacional com 17 diretrizes, todas muito bem elaboradas, e uma indústria de ponta, que produz medicamentos de qualidade, para exportar com toda tranquilidade. “É preciso encontrar onde estão as falhas para se entender porque as coisas não estão andando como deveriam”, disse Elzo. Ele enfatizou ainda a necessidade de capacitação dos prescritores e, neste sentido, disse que o Fórum veio ao encontro de um anseio da indústria em ter um prescritor capacitado na ponta para indicar o melhor produto ao paciente. “Felizmente, o CFF aprovou, há alguns anos, a prescrição de fitoterápicos. Então, esse evento é muito oportuno, porque nós vamos tratar, aqui, também da qualificação dos prescritores farmacêuticos”.

A presidente do conselho diretivo da Abifisa, Anne Gabrielle, disse que é preciso estimular a discussão e fazer crescer esse mercado, assim como estipular normas e políticas necessárias para inserir os fitoterápicos dentro da prescrição médica e farmacêutica, para apresentar à sociedade produtos com qualidade e segurança. “Nós sempre discutimos profundamente os requisitos técnicos para a produção desses produtos, as empresas associadas têm toda uma qualidade instalada e uma capacidade produtiva para esses medicamentos e estamos aqui muito felizes por participar dessa discussão”, explicou Anne.

Steffan Ferrari, sócio-diretor da Greenfields Helth Care, comentou que a maior intenção da organização internacional é fomentar como vem sendo tratado o tema do canabidiol no Brasil, especialmente no quesito registro e como esse produto é tratado pela Anvisa e pelos órgãos regulatórios brasileiros. “A gente busca a todo momento avançar com pesquisas científicas, apresentar isso como um medicamento e remover o estigma negativo associado ao assunto”, afirmou Steffan.

Outro sócio-diretor da Greenfields Helth Care, João Alexandre, disse que a organização atua no desenvolvimento genético da Cannabis para permitir que se consiga estabelecer padrões de CBD e THC. No processo produtivo, a entidade busca desenvolver o extrato, extrair o óleo, seguindo todos os padrões que a farmacopeia americana utiliza para garantir que o extrato seja o mesmo de 1 grama a 20 toneladas produzidas. “O que queremos aqui, nessa parceria com o CFF, é fomentar essa busca por um padrão de qualidade que proporcione um medicamento que seja inquestionável”, explicou.

Também pela regulação da Cannabis para fins terapêuticos, o advogado Emílio Figueiredo participou do Fórum representando cinco entidades: Abracannabis (RJ), Cultive Cannabis e Saúde (SP), Associação de Apoio à Pesquisa em Cannabis (Apepi – RJ), Liga Canábica (PB), Associação Brasileira Cannabis Esperança (Abrace – PB) e Associação Cannábica Piauiense (ACP). “As pessoas já estão fazendo uso. Já há o fato social. Então, é necessário que haja uma regulação urgente para que se tenha um acompanhamento das autoridades e de áreas técnico-científicas como a Farmácia. Esse evento realizado pelo CFF é fundamental porque nós temos interesse em produzir com o respaldo científico”, afirmou.


Confira a programação completa

14/09
9h - Abertura
9h30 - 10h30 - Palestra: Sistemas endocanabinóides / Dr. Renato Malcher (Doutor em Neurociências Tulane University, EUA)
10h30 - 11h30 - Palestra: Uso terapêutico dos canabinóides - Panorama global e desafios no Brasil / Dra. Paula Dall Stella (Membro da International Cannabinoid Research Society)
11h30 - 13h - Palestra: Canabinóides e as diferentes formas de uso terapêutico / Dr. Carlos Rocha (Pesquisador - UNIFESP)
14h - 14h30 - Relato de Caso: E se você precisasse usar canabinóides? / Dr. Rodrigo Gimenes (Usuário)
14h30 - 17h - Mesa Redonda): Panorama atual e desafios para a utilização terapêutica dos canabinóides no Brasil / Conselho Federal de Farmácia ANVISA - GMESP - Gerência de Medicamentos Específicos, Fitoterápicos e Dinamizados ANVISA - GPCON - Gerência de Produtos Controlados Conselho Federal de Medicina Polícia Federal - Diretoria de Combate ao Crime Organizado Tribunal Regional Federal da 4ª Região

15/09
09 - 10h - Palestra: A produção de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos: potencialidades e fragilidades / Coordenadora: Dra. Margarete Akemi Kishi - (GT-Fitoterapia/CFF) Dr. Elzo Velani (ABIFISA)
10h - 10h30 - Experiência Exitosa: Os avanços na estruturação de uma cadeia produtiva sustentável de plantas medicinais / Dr. Euclides Lara Cardozo Júnior (SUSTENTEC/PR)
10h30 - 12h30 - Mesa Redonda: Cadeia produtiva de plantas medicinais e fitoterápicos - avanços e fragilidades / Coordenação: Ezequiel P. Viriato (GT Fitoterapia/CFF) Dra. Katia Regina Torres (MS/DAF) Dr. Olavo Rodrigues (Superintendente P&D Regulatório - Natulab) Dra. Laerte Dall’Agnol (Diretora - Dall Soluções Analíticas) Setor Regulador (ANVISA) Setor de Fomento (MMA, MDIC)
14h - 14h30 - Experiência Exitosa: Modelo de ensino da graduação e pós-graduação integrada a projetos de pesquisa e extensão, UNIPAR/Umuarama - Mestrado em Plantas Medicinais e Fitoterápicos na Atenção Básica / Dr. Emerson Luiz Botelho
14h30 - 16h30 - Mesa Redonda: Fitoterapia e Formação Generalista / Coordenação: Margarete Akemi Kishi (GT Fitoterapia/CFF), Dr. José Ricardo dos Santos Vieira (CAEF/CFF), Dra. Leônia Maria Batista (UFPB), Dra. Dâmaris Silveira (UnB)
16h30 - 18h - Elaboração de Documentos: Carta de Brasília / Coordenação: GT Fitoterapia/CFF

Grupo de Trabalho sobre Fitoterapia
Dra. Margarete Akemi Kishi - Coordenadora
Dr. Euclides Lara Cardozo Junior
Dr. Ezequiel Paulo Viriato
Dra. Leônia Maria Batista
Dr. Nilton Luz Netto Júnior

Serviço
Data: dias 14 e 15 de setembro
Horário: das 9h às 18h
Local: Auditório da Universidade dos Correios - SCEN Lote 4 - Asa Norte, Brasília – DF

 

 

Fonte: Comunicação do CFF
Autor: Murilo Caldas

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700