Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

A aspirina e suas possíveis novas indicações

Data: 17/04/2017

Na reunião anual da Associação Americana para Pesquisas em Câncer, realizada no início do mês, foi apresentado estudo associando o uso regular e por longo tempo de aspirina em doses baixas a possível redução de casos de câncer e consequente morte.

A pesquisa mostrou redução de mortalidade em 7% para o sexo feminino e 11% para o masculino em um total de 86.206 mulheres e 43.977 homens, segundo a professora Yin Cao e colaboradores do Massachusetts General Hospital e Universidade de Harvard, EUA.

O blog "HealthNewsReview.org", coordenado pelo professor Gary Schwitzer, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Minnesota, EUA, analisa a qualidade das notícias sobre saúde e medicina publicadas na imprensa americana. Ele afirma que a pesquisa não prova que a aspirina reduz o risco de morte por câncer. O que ele mostra são pessoas mais conscientes e cuidadosas em relação a problemas de saúde do que as que não tomam remédio regularmente.

Por outro lado, a aspirina possibilita risco de hemorragia nos portadores de úlceras gastrointestinais, hipertensão sem controle ou com uso concomitante de anticoagulantes e drogas não esteroidais.

A aspirina foi descoberta em 1897 na Alemanha. Nos últimos 120 anos tem sido usada para dor de cabeça, febre e problemas reumáticos, entre outras ações. É recomendada para prevenção de infarto em doses máximas de 100 miligramas/dia.

Fonte: Folha de S.Paulo
Autor: Julio Abramczyk

Fotos Relacionadas

Vídeos

Vídeo
Dúvidas sobre medicamentos não tem hora, mas têm solução.










Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700