Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Dengue, chikungunya e zika

Plantão Médico: A transmissão sexual do vírus da zika

Data: 12/09/2016

A transmissão do vírus da zika pela atividade sexual não só é possível como é mais frequente do que supõe, alerta a OMS (Organização Mundial da Saúde).

A transmissão principal ainda é pelo mosquito aedes, acrescenta o comunicado divulgado na última terça (6), mas a participação do sexo no contágio preocupa as autoridades sanitárias internacionais pela associação entre o vírus da zika e os resultados adversos da contaminação pelo patógeno na gravidez.

Não é a primeira vez que um vírus é transmitido por via sexual. O HIV iniciou sua caminhada pelo mundo há mais de 30 anos e apenas há pouco tempo surgiram medicamentos consideravelmente eficazes contra a Aids.

Pesquisadores recentemente comprovaram a transmissão do vírus da zika por homem ou mulher contaminados, mas assintomáticos.

No homem, foi confirmada presença do vírus no sêmen; na mulher, a presença do patógeno foi detectada nos fluidos vaginais e mucosa cervical (do colo do útero).

Para pessoas retornando de áreas com a presença da virose, inclusive as assintomáticas, é recomendável sexo seguro de oito semanas aos seis meses seguintes ao retorno ao seu domicílio.

Entre os vários cuidados recomendados para o sexo seguro estão o uso da camisinha pelo homem ou o equivalente feminino pela mulher e a redução do número de parceiros. Também existe a eficaz porém impopular alternativa da abstinência sexual.

Fonte: Folha de S.Paulo
Autor: Julio Abramczyk

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700