Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Dengue, chikungunya e zika

OMS diz que não há registro de casos de zika nos Jogos

Data: 05/09/2016

A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse ontem que não há relatos de casos de zika em pessoas que estiveram nos Jogos Rio-2016, o que confirma a previsão inicial de que o evento não levaria a um aumento significativo na transmissão do vírus.

O comitê de emergência da OMS reafirmou ainda o conselho dado anteriormente para que não haja restrições gerais de viagem e comércio para países em que há transmissão do vírus, incluindo o Brasil, que sediará os Jogos Paralímpicos este mês (7 a 18 de setembro).

Ainda de acordo com a OMS, a expansão do zika continua sendo uma emergência de saúde internacional. O médico David Heymann, diretor do comitê, disse que ainda há lacunas consideráveis sobre o conhecimento da doença e os danos causados por ela, incluindo problemas cerebrais congênitos. Por isso, a OMS concluiu que a doença ainda é uma emergência global.

No Brasil, existem estudos que tentam determinar o motivo pelo qual certas regiões registraram um aumento do nascimento de bebês com microcefalia. Segundo o último balanço da OMS, a doença já chegou a 72 países.

Antes da Olimpíada, alguns atletas estrangeiros chegaram a admitir medo de vir ao Brasil por causa da doença. A goleira Hope Solo, da seleção americana de futebol, criou polêmica ao postar imagens em redes sociais usando um véu contra mosquitos e segurando um frasco de repelente. Alguns golfistas desistiram de participar dos Jogos. O australiano Jason Day, número um do ranking mundial, foi um dos que não compareceram.

Fonte: O Globo

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700