Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Será que só o zika é o culpado pela microcefalia?

Data: 12/01/2016

Quase dois meses se passaram desde que o Ministério da Saúde estabeleceu a associação entre o vírus zika e o aumento de casos de microcefalia que atinge Estados do Nordeste, mas cada vez mais surgem dúvidas se o zika, sozinho, é o responsável pelas graves lesões cerebrais que atingem mais de 3.000 bebês no país.

Em entrevista coletiva na última sexta (8), pesquisadores do ICB (Instituto de Ciências Biomédicas), da USP, levantaram hipóteses de que há mais caroço nesse angu do que a gente imagina.

Algumas dúvidas básicas: por que o vírus não aumentou a incidência de microcefalia no oeste da África, o seu berço? Ou por que, no Brasil, os casos de microcefalia se concentram majoritariamente em Pernambuco se, pelas estimativas do Ministério da Saúde, há outras regiões com mais incidência de zika, entre elas São Paulo?

Uma das respostas mais esperadas é se o vírus zika que circula no Brasil, já sabidamente vindo da Ásia, sofreu alguma mutação no DNA que o tornou capaz de provocar danos nas células nervosas.

Os pesquisadores do ICB estão realizando experimentos com camundongos para tentar reproduzir o que ocorre no sistema neurológico dos bebês. Querem saber, por exemplo, se os danos são causados diretamente pelo vírus ou por algum tipo de reação do sistema imunológico.

Também estudam a interação do zika com os vários subtipos do vírus da dengue que circulam no país. Citam o exemplo da dengue hemorrágica, que pode ocorrer quando uma pessoa é infectada por dengue pela segunda vez, em que há uma reação violenta de células imunes contra células invadidas pelo vírus.

Uma hipótese dos cientistas é que o zika esteja provocando uma reação imune desse tipo, mas com efeito mais grave no feto do que na grávida que contraiu o vírus. Há também a suposição de que, talvez, nem seja o zika o responsável pelos casos de microcefalia, mas isso é pouco provável nessa altura. Um bom texto sobre o risco das correlações apressadas foi escrito pelo médico Luis Cláudio Correa, autor do blog "Medicina Baseada em Evidência". 

O fato é que enquanto todos os holofotes estão no zika e na microcefalia, a dengue já chegou com tudo em São Paulo e no interior. Vários infectologistas relatam aumento de casos em seus consultórios e hospitais, mas os dados epidemiológicos consolidados ainda devem demorar um pouco para serem divulgados. O verão promete.

Fonte: Folha de S.Paulo Online
Autor: Cláudia Collucci

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700