Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

Riopharma e congresso da Fefas são oficialmente abertos no Rio de Janeiro

Data: 16/10/2015

Realizada na noite desta quinta-feira, 15 de outubro, no Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro (RJ), a solenidade de abertura do XVIII Congresso da Federación Farmacéutica Sudamericana e do 8º Congresso Riopharma de Ciências Farmacêuticas, foi uma celebração ao momento pujante que vive a profissão farmacêutica no Brasil. O foco dos discursos não poderia ser outro senão a atuação clínica do farmacêutico, o eixo central dos eventos que têm como tema “A prescrição farmacêutica e os novos paradigmas da profissão”.

O ato solene foi, também, uma manifestação de reconhecimento pelo protagonismo do Conselho Federal de Farmácia (CFF) no resgate do papel do farmacêutico como cuidador de seus pacientes e da farmácia como estabelecimento de saúde. O presidente do CRF-RJ, Marcus Athila, quebrou o protocolo para pedir aplausos ao presidente do CFF, Walter da Silva Jorge João, pela sua liderança e coragem na publicação das resoluções que dispõem sobre as atribuições clínicas do farmacêutico e da prescrição farmacêutica (nº 585 e nº 586, respectivamente).

E Walter da Silva Jorge João fez o mesmo em reverência à presidente da Federação Internacional de Farmacêuticos (FIP), Carmen Peña. “Peço aplausos a essa mulher plena de humildade, simplicidade, mas também de determinação, e que assumiu a FIP sabendo exatamente onde quer chegar”, disse o presidente do CFF. Além de Walter Jorge João, Marcos Athila e Carmen Peña, também fizeram parte da mesa solene os presidentes do 8° Riopharma, Carlos Santarém; do Foro Farmacéutico de las Américas (FFA), Eduardo Savio; da Federación Farmacéutica Sudamericana, Carlos Eduardo Jerez; e da Associação Brasileira de Farmacêuticos (ABF), Elizabeth Valverde.

O presidente do CFF Walter da Silva Jorge João fez uma retrospectiva do processo de construção das resoluções e da luta pela aprovação da Lei nº13.021/14. Ele lembrou que, ao assumir a gestão do conselho pela primeira vez, em 2012, encontrou um desânimo geral da classe em relação ao segmento das farmácias e drogarias, que mais emprega farmacêuticos no País. Aliado a isso, havia a ameaça de derrocada da profissão. “O malfadado projeto de lei da senadora Marluce Pinto, se fosse aprovado, resultaria na demissão de 70 mil farmacêuticos, que atuam como responsáveis técnicos em drogarias, pois abolia a exigência desses profissionais nos estabelecimentos, abrindo esse espaço no mercado de trabalho para técnicos em Farmácia.”
De acordo com Walter Jorge João, o CFF e as demais entidades representativas da classe, unidas no Fórum Nacional de Luta pela Valorização da Profissão Farmacêutica, conseguiram, não só reverter o quadro, como traçar um novo futuro para a profissão. “Fomos às ruas e ao Congresso Nacional e ajudamos a aprovar uma nova lei que veio resgatar a autoridade técnica do farmacêutico e o papel deste dentro das farmácias. E hoje estamos, também, estamos contribuindo para colocar em prática o conceito de farmácia como estabelecimento de saúde.”

Outro motivo de grande satisfação, segundo Walter Jorge João, é ver que o oceano que separava empresários e farmacêuticos, tornou-se um pequeno riacho. “Conseguimos, com sabedoria, buscar essa aproximação e hoje vemos os empresários reconhecerem o trabalho do farmacêutico como fator que agrega qualidade e fideliza clientela.” Ele citou que uma grande rede de farmácias, com mais de 300 estabelecimentos, já conta com 120 consultórios farmacêuticos e deve chegar a 250 até o mês de dezembro. “É muito saboroso assistir o que era inimaginável até muito pouco tempo atrás. Mostramos para os céticos que a profissão não está fadada ao insucesso. Por isso, conclamo a todos que não deem eco a discursos pessimistas. No mundo atual não se tolera mais farmácia que não conte com os serviços farmacêuticos.”

Intitulado “Uma nova farmácia para um novo perfil de paciente”, o discurso de Carmen Peña mostrou que o Brasil está alinhado ao movimento internacional pela transformação da profissão farmacêutica. Ela falou sobre o plano de trabalho de sua gestão, denominado “Dois vezes dois”, que tem, entre os seus pilares, o cuidado ao paciente, os serviços farmacêuticos e a sustentabilidade da profissão. “Nossa meta é seguir construindo um futuro brilhante para todos e cada um dos farmacêuticos, para que possam continuar utilizando seus conhecimentos na busca da saúde dos pacientes.”

Carmen Peña falou também da importância das mulheres como aliadas no cuidado farmacêutico – são elas que assumem com maior frequência o cuidado familiar – e sobre a importância do trabalho do farmacêutico para ajudar a minimizar o impacto na eliminação dos resíduos de medicamentos. Disse ainda da sólida plataforma profissional para alcançar os avanços na profissão, que tem, na FIP, seu sustentáculo em nível global e em cada uma entidade federada, o apoio em nível regional. “A FIP é também a vossa organização. E estamos construindo, juntos, a melhor Farmácia para as pessoas do século vinte um.”

Homenagem – Durante a solenidade foi entregue, pelo CRF-RJ, o prêmio Riopharma Personalidades, para farmacêuticos que se destacam na história da profissão por sua contribuição à Farmácia Clínica. Novamente, a importância do CFF neste processo ficou evidente. Dos seis homenageados, quatro são ligados ao conselho. São eles o presidente do CFF, Walter Jorge João, os assessores da Presidência, Josélia Frade e Tarcísio José Palhano, e a consultora ad hoc da instituição, Angelita Cristine de Melo.

Também foram homenageados o ex-professor da UFRJ, Levy Gomes Ferreira, representado pelo seu filho, Guilherme Neres Ferreira, e o ex-conselheiro federal de Farmácia, Jorge Cavalcante Oliveira, que também presidiu a ABF e o CRF-RJ. “É uma honra receber esta homenagem junto com farmacêuticos que se destacam por sua contribuição na construção da história da Farmácia Clínica no Brasil, como o professor

Tarcísio Palhano”, disse Walter Jorge João.
Boas vindas - O presidente do 8º Riopharma, Carlos Santarém, disse que o congresso deve ser, sim, um divisor de águas para a profissão, embora não se arriscasse a mensurar, ainda, sua dimensão. “As atividades estão apenas iniciando”, justificou, citando alguns números do evento. “São mais de 80 palestrantes de diferentes países. O congresso ainda recebeu 465 trabalhos científicos sobre 39 temas.” O presidente do CRF-RJ, Marcos Athila, destacou que o 8º Riopharma será um momento único para a troca de experiências nas diferentes áreas, como nanotecnologia, cosmetologia e radiofarmácia, além da atuação clínica, área focal do evento. “Sejam todos bem-vindos e tirem o máximo de proveito desta oportunidade.”

O 8º Congresso Riopharma de Ciências Farmacêuticas e o XVIII Congresso da Fefas estão sendo promovidos pelo Conselho Regional de Farmácia do Rio de Janeiro (CRF-RJ), pelo Conselho Federal de Farmácia (CRF-RJ), pelo Fóro Farmacéutico de las Américas (FFA), pela Federación Farmacéutica Sudamericana (Fefas) e pela Associação Brasileira de Farmacêuticos (FBF). Os eventos começaram na quinta-feira, dia 15 de outubro, e continuam até sábado, 17.

Fonte: Comunicação CFF

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700