Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

Dr. Jaldo recebe título de Cidadão Honorário de Brasília

Data: 28/10/2008

Foto: Yosikazu Maeda

O Presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Jaldo de Souza Santos, recebe título das mãos do Deputado Distrital Milton Barbosa (PSDB-DF)
 

Brasília, 30.10.08 - A Câmara Legislativa do Distrito Federal realizou sessão solene, ontem à noite, no auditório principal do Memorial JK, em Brasília, para conceder o título de Cidadão Honorário de Brasília ao Presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Jaldo de Souza Santos. O título foi outorgado, graças a um Projeto de autoria do Deputado Distrital Milton Barbosa (PSDB-DF). Emocionado, Souza Santos declarou, durante discurso que proferiu, na solenidade: "O título é de todos os farmacêuticos brasileiros".

 

A sessão solene, presidida pelo próprio Deputado Milton Barbosa, reuniu parlamentares, diretores e funcionários dos Conselhos Federal e Regionais de Farmácia, farmacêuticos e acadêmicos de Farmácia. Foi um ato marcado pela emoção. "Lembro-me, agora, de minha origem humilde", disse, com a voz embargada, o homenageado.

 

Os discursos proferidos por sete convidados que compunham a Mesa - o oitavo membro era o próprio Souza Santos - lembraram passagens e ações do Presidente do CFF que justificaram o recebimento do título de Cidadão de Brasília. O primeiro a falar foi o autor da proposta, Deputado Milton Barbosa.

 

DEDICAÇÃO EXCLUSIVA À FARMÁCIA - O parlamentar brasiliense enfatizou, em seu discurso, o pioneirismo e a dedicação de Dr. Jaldo de Souza Santos, de forma exclusiva, à profissão farmacêutica. Formado em Farmácia, em 1956, pela então Faculdade de Farmácia e Odontologia de Goiás - o curso foi incorporado à Universidade Federal de Goiás (UFG), criada, anos depois - e em Direito pela Católica (UCG) de Goiás, em 1979, Souza Santos jamais abraçou outra atividade que não a farmacêutica. Ele selou a sua paixão pela profissão, menino.

 

Milton Barbosa lembrou que Dr. Jaldo, assim que se formou, comprou a Farmácia do Povo, em Goiânia, uma das pioneiras da cidade, e que se mantém ativa e de sua propriedade. Um dos fundadores do Conselho Regional de Farmácia de Goiás e, por três vezes, seu Diretor, Souza Santos elegeu-se, pela primeira vez, Conselheiro Federal de Farmácia, em 1972. Anos depois, foi eleito pelo Plenário do CFF para exercer o cargo de Secretário-Geral do órgão e, em seguida, de Presidente, função para a qual foi reconduzido, pela quinta vez consecutiva.

 

"Fervoroso defensor da política de genéricos, o Dr. Jaldo de Souza Santos viajou, pelo País, pregando o alcance social e as vantagens sanitárias dessa categoria de medicamentos e conclamando a sociedade a se engajar na luta pela consolidação dessa política", lembrou o Deputado autor da proposta do título de Cidadão Honorário de Brasília.

 

O parlamentar ressaltou, ainda, a luta do farmacêutico em favor da consolidação da atenção farmacêutica e da qualificação profissional. "Dr. Jaldo acredita que com a qualificação, o farmacêutico esteja resgatando o espaço perdido, nas décadas de 60/70, com o advindo da produção industrial de medicamentos, e consolidando as suas posições junto ao mercado e à sociedade beneficiária dos seus serviços profissionais", acrescentou.

 

As ações de Jaldo de Souza Santos com vistas a romper as fronteiras farmacêuticas brasileiras, também, foram citadas pelo Deputado Distrital: "Ele abriu canais importantes com as maiores organizações farmacêuticas internacionais, como a FIP (Federação Farmacêutica Internacional), o FFA (Fórum Farmacêutico das Américas) e a própria OMS (Organização Mundial da Saúde)".

 

Lembrou, ainda, a política voltada ao ensino farmacêutico em nível de graduação adota pelo CFF, durante as gestões de Souza Santos. "Graças a essa política, o Conselho trouxe o ensino para o centro das discussões, focando a necessidade de se promover mudanças no mesmo, o que, de fato aconteceu. Em decorrência, foram implantadas as Diretrizes Curriculares, em 2002", continuou Milton Barbosa.

 

Uma passagem marcante citada pelo parlamentar foi a visita de Souza Santos ao Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em janeiro de 2008. Dr. Jaldo reuniu-se com Lula, no Palácio do Planalto, a quem entregou uma homenagem ao Presidente da República - a Comenda do Mérito Farmacêutico Internacional - mas, também, reivindicou a participação dos farmacêuticos nos programas de atenção básica do SUS (Sistema Único de Saúde). "A resposta ao seu apelo veio, três dias depois, com a publicação da Portaria 154, do Ministério da Saúde, criando os Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASFs)", disse Barbosa.

 

Os NASFs estão sendo implantados, nos Municípios, com recursos do Ministério da Saúde. Eles são o espaço de atuação dos farmacêuticos dentro do Programa Saúde da Família. 

Foto: Yosikazu Maeda

Jaldo de Souza Santos recebe os cumprimentos do Deputado Distrital Milton Barbosa (PSDB-DF) e do Ex-ministro do Esporte, Ex-deputado Federal pelo DF e atual Diretor da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Agnelo Queiroz

 

LEMBRANÇAS - O irmão mais velho de Dr. Jaldo, João, contabilista, falou, representando a família Souza Santos e acabou presenteou o público com boas lembranças do mano. "Falar do meu irmão Jaldo é fácil, porque eu o acompanho, desde o seu nascimento. Basta dizer que eu fui o encarregado de chamar a parteira, naquela noite, em Araguarina, em Mato Grosso. Estava chegando, ali, o último fruto do casal Álvaro Theóphilo e Isabel, chamado Jaldo", lembrou João.

 

Disse que Jaldo era magro, pequeno, e a sua educação primeira coube às irmãs Milca e Aldenora. "Em nossa família, nós seguimos o princípio da ajuda mútua. E foi graças a esse princípio, que Jaldo conseguiu comprar a Farmácia do Povo, há 53 anos, com a ajuda de outro irmão", revelou.

 

Daí para a frente, acrescentou João, Jaldo incorporou a luta em favor da profissão farmacêutica, até chegar à Presidência do CFF. "Peço a bênção de Deus para que Jaldo continue a servir a Deus e à Farmácia", concluiu.

 

O ESPELHO DOS FARMACÊUTICOS - A Presidente do Conselho Regional de Farmácia de Goiás (CRF-GO), Nara Luiza de Oliveira, falou em nome do Estado de origem de Dr. Jaldo. "Este título é merecido", enfatizou a farmacêutica. Disse que Souza Santos é seu "pai de profissão". "Eu aprendi muito com ele", continuou.

 

Nara Luiza reforçou os seus comentários sobre o Presidente do CFF, ao fazer a seguinte afirmação, dirigindo-se ao homenageado: "Jaldo é a Farmácia; Jaldo faz a Farmácia. Jaldo, continue nesta luta, porque você é um espelho em que a categoria se vê".

 

FRUTO - O Governador de Goiás, Alcides Rodrigues, por conta de compromissos agendados, não pôde comparecer à solenidade, mas enviou como seu representante o Presidente da Iquego (Indústria Química do Estado de Goiás), Deputado Federal Pedro Canedo.

 

Ele declarou que Goiás, nos últimos 20 anos, tem adquirido notoriedade, em todo o País, por causa da qualidade dos serviços oferecidos pelos profissionais da saúde, inclusive os farmacêuticos. "Posso afirmar que isso é fruto do trabalho de Dr. Jaldo, no sentido de que os profissionais busquem a qualificação, sempre", exclamou.

 

O SORRISO - O Presidente do Conselho Regional do Distrito Federal, Hélio José de Araújo, ocupou a tribuna do auditório, para lembrar a maneira como o Presidente do CFF recebe quem o procura. "Sempre que procuramos por Dr. Jaldo, ele nos recebe com um sorriso", lembrou o Dr. Hélio.

 

Acrescentou que, nos encontros, Souza Santos o incentiva - e aos demais farmacêuticos -a não arrefecer a luta em favor do fortalecimento da profissão farmacêutica.

 

O HOMEM E A CIDADE - No discurso que proferiu, representando o Plenário do Conselho Federal de Farmácia, o Vice-presidente do órgão, Amilson Álvares, fez um paralelo entre Souza Santos e Brasília. "A cidade que nasceu como Capital Federal, pouco depois que Dr. Jaldo formava-se em Farmácia, em 1956. O título sacramenta a sua cidadania brasiliense e abre mais ainda o seu coração para o desejo de continuar morando nesta cidade, o que ele já faz, há mais de 12 anos, e de continuar a sua luta destemida e sem pausa pela profissão, no QG da profissão, localizado na Asa Norte de Brasília, desde 1083, quando o CFF se transferiu de São Paulo para esta cidade", disse Amilson Álvares.

 

Reforçou que há uma grande semelhança entre o homem e a cidade que ele escolheu para habitar, "pois um colabora com outro e nutrem o mesmo sonho de edificar e de nunca parar. Apenas de seguir seu ideal de prosperidade". Tantos atributos e qualidades, segundo Álvares, dão a Dr. Jaldo a autoridade de representar a nossa categoria com o aval de mais de 120 mil farmacêuticos, em todos os rincões do País.

 

HONRA PARA A CIDADE - O Ex-ministro do Esporte, Ex-deputado Federal pelo DF e atual Diretor da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Agnelo Queiroz, disse que "é uma honra para Brasília ter Dr. Jaldo como seu morador".

 

Ele salientou que o Presidente do CFF é um interlocutor permanente dos farmacêuticos junto à Anvisa, desde que a Agência foi criada. "Aliás, aproveito para lembrar que Dr. Jaldo foi um defensor ardoroso da criação da Anvisa. E, depois de criada, ele passou a defender políticas púbicas que garantissem o acesso da população aos medicamentos e aos serviços farmacêuticos", lembrou Agnelo Queiroz.

 

O TÍTULO É DOS FARMACÊUTICOS - Jaldo de Souza Santos fez um discurso de improviso em que manifestou toda a sua emoção pelo recebimento do título e pelas lembranças que fluíram durante a sua fala. "O que mais sinto, agora, é vontade de chorar", anunciou.

 

O me vem à mente, agora, é a minha origem humilde. Lembro-me de quando cheguei a Goiânia, vindo de Iporá, cidade do interior de Goiás, para estudar. O meu desjejum e do meu irmão, João, era um pão que dividíamos à metade", revelou. Para Souza Santos, a dificuldades da vida o levaram a valorizar as pessoas e as coisas.

 

O CFF é o capítulo mais intenso na vida de Dr. Jaldo. Explicou que, quando assumiu a presidência do órgão, traçou planos e metas. "todos eles foram executados, ou estão em fase de execução", frisou. Chamou a atenção para a importância dos serviços profissionais para as populações, dizendo: "O farmacêutico é essencial à sociedade".

 

Ele lembrou a sua ida ao Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, quando o homenageou com a Comenda do Mérito Farmacêutico Internacional. "O Presidente me perguntou o que queríamos e eu lhe respondi que o que os farmacêuticos querem é apenas servir no SUS. Então, ele olhou para o Ministro Temporão, da Saúde, e lhe perguntou: 'Como é possível isso, Temporão?'. Três dias depois, o Presidente respondeu o meu pedido, fazendo publicar a criação do NASF (Núcleo de Apoio à Saúde da Família), o espaço de atuação do farmacêutico no SUS",

Informou o Presidente do CFF.

 

Souza Santos enfatizou que, depois daquele dia, o Governo passou a fazer várias manifestações de reconhecimento à importância dos serviços farmacêuticos no Sistema Único de Saúde, em nível de atenção básica. Uma dessas manifestações foi a criação de um programa chamado "A orientação é o melhor remédio", lançado, em setembro, pelo Ministro José Gomes Temporão. O programa tem em seu núcleo o farmacêutico.

 

O Presidente do CFF encerrou o seu pronunciamento com esta declaração: "Muitas coisas orgulham-me na vida. Uma delas é ser farmacêutico".

 

 

Fonte: CFF
Autor: Pelo jornalista Aloísio Brandão, Assessor de Imprensa do CFF

Fotos Relacionadas

Vídeos

Vídeo
Medicamento é coisa séria. Automedicação é um risco.













Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Logomarca Gedoor

Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHCGN-CR 712/713 Bloco "G" Loja 30 / Brasília - DF - Brasil - CEP: 70760-670

Fone: (61) 2106-6552 - Fax: (61) 3349-6553