Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Injeção para hospitais

Data: 26/01/2015

A abertura do capital estrangeiro a hospitais, autorizada pela Lei número 13.097, sancionada na semana passada pela presidente Dilma Rousseff, corrige uma distorção. No setor de saúde, apenas os hospitais eram impedidos de receber esse tipo de investimento. Convênios médicos, seguros de saúde, farmácias e laboratórios de diagnóstico já contavam com recursos de empresas sediadas no exterior. Beneficiadas pelo capital estrangeiro, as empresas de planos de saúde podiam até mesmo comprar hospitais - o que lhes permitiu um ganho de competitividade.

Os hospitais, porém, não podiam receber recursos externos para comprar outros hospitais, fazer fusões e ampliações. A nova lei "permite a participação direta ou indireta, inclusive controle, de empresas ou de capital estrangeiro na assistência à saúde". A autorização vale até mesmo para hospitais filantrópicos, como os estrelados Albert Einstein e Sírio-Libanês, em São Paulo. A mudança é comemorada pelos grandes centros de saúde privados - entre eles a Rede DSão Luiz, que opera 26 hospitais no país, fatura R$ 5,5 bilhões por ano e tem o banco de investimentos BTG Pactuai como acionista.

O capital externo é bem-vindo, desde que a busca pelo aumento dos lucros não implique redução na qualidade dos serviços e risco à segurança dos pacientes. A saúde é um produto especial. Não pode ser regida pela mesma lógica de quem produz bens de consumo descartáveis. Espera-se que a abertura ao capital estrangeiro seja também uma oportunidade para a criação de uma cultura de transparência no setor hospitalar - algo ainda incipiente nas empresas brasileiras. Enquanto elas comemoram a conquista do direito de buscar novos investimentos para crescer e prosperar, o cliente almeja o básico: o acesso a informações claras sobre o preço dos serviços e indicadores de segurança e qualidade para que ele possa fazer valer seu poder de escolha. Do contrário, a população continuará oprimida entre o SUS (Sistema Único de Saúde) enfraquecido pelo eterno subfinanciamento e hospitais privados que cobram e fazem o que bem entendem.

Fonte: Época

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700