Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Fiocruz é referência em pesquisa sobre doenças como aids e dengue

Data: 22/08/2014

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), vinculada ao Ministério da Saúde, é o melhor centro de pesquisa do Brasil em qualidade de produção científica, conforme o ranking divulgado em junho pela universidade holandesa de Leiden. Um dos principais indicadores é o impacto da pesquisa acadêmica, isto é, o quanto ela é citada pela comunidade científica. Voltada para a solução de problemas práticos e para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS), a instituição também é referência quando o assunto é cooperação internacional. Suas parcerias com outros países envolvem desde a produção de medicamentos e vacinas à realização de pesquisas sobre doenças como aids, Chagas e dengue.

No ano passado, o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), vinculado à Fiocruz, inaugurou em Moçambique uma fábrica de antirretrovirais e 16 outros medicamentos. Primeira empresa pública do setor farmacêutico do continente africano, a Sociedade Moçambicana de Medicamentos produzirá 226 milhões de unidades de antirretrovirais por ano, beneficiando 2,7 milhões de pessoas que vivem com HIV/Aids no país. A tecnologia será transferida gradualmente aos africanos. Outra parceria importante, iniciada em 2010, segue o caminho inverso: transferência de tecnologia do Instituto Indar, na Ucrânia, para fabricação de insulina recombinante humana pela instituição brasileira. A produção deverá cobrir 50% da demanda do Ministério da Saúde para atender pacientes com diabetes.

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos (Bio-Manguinhos), unidade da Fiocruz dedicada à produção de vacinas, também tem papel ativo na cooperação internacional. Em outubro de 2013, a instituição firmou acordo com a Fundação Bill e Melinda Gates para o desenvolvimento da vacina dupla viral (sarampo e rubéola).

A partir de 2017 serão produzidas 30 milhões de doses por ano para ações em países em desenvolvimento. Um acordo com a israelense Protalix/Pfizer prevê a transferência de tecnologia para produção de um biofármaco de combate à doença de Gaucher. A parceria com a inglesa GlaxoSmithKline (GSK) prevê a produção e fornecimento da vacina tetravalente viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela) ao Ministério da Saúde.

"Também temos firmado acordo com o laboratório japonês de telecomunicações NTT, que investe mais de US$ 1 bilhão em P&D por ano", informa o diretor de Gestão da Inovação do CPqD, Alberto Paradisi.

Fonte: Valor Econômico
Autor: Dauro Veras

Fotos Relacionadas

TV CFF















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700