Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias do CFF

União em favor da educação farmacêutica

Data: 07/05/2009

Começou, ontem, às 9h30, no Hotel Nacional, em Brasília (DF), a VI Conferência Nacional de Educação Farmacêutica. O evento é realizado pela Associação Brasileira de Ensino Farmacêutico e Bioquímico (Abenfarbio), com o apoio do Conselho Federal de Farmácia (CFF), por meio da sua Comissão de Ensino (Comensino); da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC) e da Federação Interestadual de Farmacêuticos (Feifar). O tema principal do evento é Gestão e qualidade da formação farmacêutica.

Na solenidade de abertura, o Presidente da Abenfarbio, Carlos Cecy, disse que a educação farmacêutica vem experimentando, no Brasil, uma mudança abrangente trazida pelas Diretrizes Curriculares, editadas, em 2002. Mas, ao mesmo tempo em que as Diretrizes representam uma conquista dos farmacêuticos, elas estabeleceram critérios que revelam grandes diferenças entre os cursos de graduação em Farmácia. “Este é um desafio para o ensino farmacêutico, no País. Um desafio para nós, educadores. Por isso, é importante estarmos, aqui, reunidos e discutirmos a formação deste profissional. A nossa responsabilidade é grande e aumenta, a cada dia”, completou Cecy.

O Presidente da SBAC, Ulisses Tuma, afirmou que este é um grande momento para a profissão farmacêutica. “A Farmácia está crescendo e se especializando. Acredito que este seja o melhor momento para discutirmos a formação do farmacêutico. E as Análises Clínicas talvez sejam a área que mais necessita de debates, desde a grade curricular, até a atuação no mercado de trabalho”, afirmou Tuma.

O Presidente da Federação Interestadual dos Farmacêuticos (Feifar), Danilo Caser, convocou os docentes e coordenadores presentes a despertar nos alunos o valor do movimento sindical. “É sempre uma emoção ouvir o Hino Nacional, principalmente o trecho – Verás que um filho teu não foge à luta - esse é o verdadeiro espírito do movimento sindical brasileiro. Falem com seus alunos, principalmente os egressos, despertem neles a importância da mobilização”, disse o dirigente.

Jeane Michel, Coordenadora Geral de Residências de Saúde do Ensino Superior (MEC), disse que a gestão do Ministro Fernando Haddad, da Educação, representa um avanço no ensino superior, pois promoveu a integração das as ações do MEC às ações do Ministério da Saúde, levando em consideração as necessidades do profissional que atua na área. “A regulação do ensino de saúde precisa de um olhar diferenciado que já é reconhecido pelo Ministério da Educação A supervisão dos cursos, em nível superior, deve, e já está sendo feita, por profissionais de Saúde. Isso é uma valorização de todos os profissionais que atuam na área”, disse a representante da advogada Maria Paula Dallari, Secretária de Ensino Superior do Ministério da Educação (MEC).

Jaldo de Souza Santos, Presidente do CFF, lembrou que houve um tempo em que os Conselhos Profissionais eram apenas “cartórios” responsáveis por cadastrar e fiscalizar os profissionais. Neste tempo, quando assumiu, pela primeira vez, a Presidência do CFF, as Diretrizes Curriculares já estavam sendo discutidas, mas de forma desagregadora. “Uma das minhas primeiras missões, à frente do CFF, foi agregar a categoria e, através das Diretrizes da graduação, solicitar ao MEC a formação de um profissional generalista”.

Depois disso, o CFF normatizou cerca de 70 atividades, investiu em capacitação e valorização profissional. “O crescimento da profissão é fruto de um trabalho conjunto do CFF e de toda a categoria. Na área da educação farmacêutica, o CFF sempre contou com a participação de profissionais, coordenadores de cursos, professores e estudantes de Farmácia. Todos os frutos colhidos na área da educação representam o resultado da dedicação de todos vocês, educadores e estudantes", disse Jaldo de Souza Santos.

O dirigente lembrou, ainda, que o CFF já deu mais um passo em favor da valorização profissional. “O Conselho Federal incentiva e verifica a qualidade dos cursos oferecidos pelas Instituições de Ensino e pelas Sociedades. A SBAC (Sociedade Brasileira de Análises Clínicas) e a Anfarmag (Associação Nacional de Farmácia Magistral) já oferecem cursos de capacitação de alto nível. E já estamos concluindo a parceria com a Sbrafh (Sociedade Brasileira de Farmácia Hospitalar) que, em breve, terá condições de especializar o farmacêutico que atua no setor. Tudo isso para que o farmacêutico seja o melhor, ao prestar o serviço à sociedade”, concluiu.

EVENTO - A Conferência segue até o dia 9 de maio (sábado) com palestras, debates, mesas redondas, fóruns e oficinas, todos abordando temas, como gestão educacional com foco na qualidade, inovação em educação farmacêutica, planejamento acadêmico, metodologias ativas de ensino e aprendizagem e avaliação da aprendizagem, dentre outros.

ORGANIZAÇÃO – A VI Conferência Nacional de Educação Farmacêutica é organizada pela Abenfarbio e Comensino/CFF. Os farmacêuticos Carlos Cecy (PR), Geraldo Alécio de Oliveira (SP), Eula Maria de Melo Barcelos Costa, Ilza Martha de Souza (MT), Hemerson Bertassoni Alves (PR) e Paulo Haidamus de Oliveira Bastos (MS) integram a Diretoria da Abenfarbio. Já a Comissão de Ensino do CFF é composta pelos farmacêuticos Magali Demoner Bermond (ES), Carlos Cecy (PR), Zilamar Costa Fernandes (RS), Ely Eduardo Saranz Camargo (SP) e Nilsen Carvalho Fernandes de Oliveira Filho (RN).
 

Fonte: CFF
Autor: Veuska Narikawa

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700