Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Remédio para tratar a tuberculose em falta

Data: 10/07/2014

Problemas recentes de distribuição do remédio para tratar a tuberculose, um composto de quatro antibióticos que só é fornecido pela rede pública de saúde, tornam cada vez mais urgente que o Brasil tenha produção independente do medicamento. Segundo Carlos Basília, coordenador do Observatório Tuberculose Brasil, vinculado à Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), houve registros de desabastecimento da droga em São Paulo. Isso ocorre três meses depois de os municípios do Rio de Janeiro e de Petrolina (PE) terem passado por situação semelhante. Basília afirma também que um dos testes usados para fazer o diagnóstico da doença está em falta.

O coordenador do Programa Nacional de Controle da Tuberculose, Dráurio Barreira, esclarece que, em março, um lote do medicamento distribuído pelo governo federal próximo do prazo da validade, com o aviso sobre a necessidade de ser distribuído rapidamente, enfrentou lentidão para chegar a algumas unidades de saúde do Rio e de Petrolina. Sobre São Paulo, ele diz que houve uma “ameaça de desabastecimento”, sem registro de falta de remédio. Barreira considera importante, entretanto, que o Brasil produza a droga. “A rifampicina é um antibiótico que precisa ser fabricado em condições especiais, em um local exclusivo. Nosso desafio é esse”, afirma.

Sobre a produção interna do medicamento, de acordo com Barreira, a tecnologia e os insumos não são o problema. O que falta é encontrar um local exclusivo para processar a rifampicina, um dos ingredientes da droga, crucial no tratamento de 80 mil pacientes. Segundo ele, o Instituto de Tecnologia em Fármacos (Farmanguinhos), da Fiocruz, vem tentando fazer uma parceria com o Laboratório Químico Farmacêutico do Exército ou com outra instituição pública do setor para fabricar a rifampicina. Até dois anos atrás, o principal empecilho para produzir o composto usado contra a tuberculose no Brasil era uma resolução da Anvisa que proibia a junção de quatro drogas em uma mesma apresentação. Devido à necessidade de se fazer o remédio para a doença, essa regra caiu.

Apesar das promessas, o coordenador do Observatório Tuberculose Brasil afirma que está acompanhando a situação desde o fim de abril e já havia recebido respostas do Ministério da Saúde de que o problema da distribuição seria pontual. “A gente imaginou que essa questão estivesse resolvida, fomos surpreendidos”, disse. Segundo ele, a previsão é de que o teste tuberculínico seja entregue até agosto. “No entanto, estamos em uma situação crônica. A produção em território nacional é fundamental para acabar com a dependência e dar automonia ao Brasil”, disse.

Na avaliação de Basília, embora o governo afirme que o Brasil está a poucos passos para produzir internamente, falta vontade política. “A questão é que queremos transparência. Queremos saber qual é o tamanho do problema, o que está sendo feito para solucionar e um cronograma de quando isso será resolvido”, afirma.

A enfermidade em números

O Brasil é o 17º dos 22 países no mundo que
concentram 80% dos casos de tuberculose. Saiba mais:

» Taxa de incidência é 35,4 por 100 mil habitantes
» O número de mortes por ano, em 2012, chegou a 4,6 mil
» 70 mil novos casos foram notificados em 2013
» Cerca de 9 mil pacientes precisam refazer o tratamento no período de um ano
» 4ª causa de morte por doenças infecciosas
» 1ª causa de morte entre doenças infecciosas definidas em pacientes com Aids.

Fonte: Observatório Tuberculose Brasil (OTB/Fiocruz)

 

Fonte: Correio Braziliense
Autor: Renata Mariz e Julia Chaib

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700