Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Anticorpos em bebês podem levar a vacina contra a malária

Data: 23/05/2014

O sangue de bebês tanzanianos infectados pelo parasita da malária deu uma pista para produzir aquela que pode ser uma vacina eficaz contra uma doença que mata perto de um milhão de crianças no mundo por ano em países subdesenvolvidos.

A doença costuma ser fatal para crianças pequenas, mas existem as que demonstraram ter resistência à infecção. Logo, tentar entender o motivo dessa proteção natural pode indicar um caminho para desenvolver uma vacina ainda inexistente contra a mais temida doença tropical.

Quando um agente causador de doença invade o organismo, o sistema de defesa do corpo tenta identificar e destruir a ameaça. O parasita invasor tem "antígenos", uma espécie de fechadura; o corpo tenta produzir "anticorpos", as chaves.

Os bebês tanzanianos tinham anticorpos as "chaves" para uma porta importante do parasita da malária, um ser de apenas uma célula chamado "plasmódio", mas com grande capacidade de iludir o sistema de defesa.

O parasita costuma invadir os glóbulos vermelhos e, em alguns casos, ele se transforma dentro da célula e a faz "explodir", lançando mais parasitas no sangue.

O anticorpo achado nos bebês tanzanianos impede essa explosão e o parasita fica dentro da célula sanguínea.

Foram feitos testes em seres humanos e em animais de laboratório. Os resultados foram os mesmos: o antígeno ("fechadura") PfSEA-1 foi bloqueado pelos anticorpos presentes nas crianças. O estudo foi publicado na revista científica "Science".

Fonte: Folha de S. Paulo
Autor: Ricardo Bonalume Neto

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700