Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Copa pode criar foco mundial de dengue, afirma sanitarista

Data: 28/11/2013

A revista britânica "Nature", publicação científica mais importante da Europa, destaca hoje um artigo do sanitarista Simon Hay, um dos maiores especialistas do mundo em dengue, dizendo que o Brasil pode se tornar um foco global de transmissão da doença em 2014.

No texto "Febre do futebol pode virar uma dose de dengue", o cientista da Universidade de Oxford afirma que três cidades-sede da Copa Salvador, Fortaleza e Natal vão passar pelo pico da temporada de transmissão da doença durante o torneio.

Hay, que liderou estudos globais sobre dengue, diz que a Fifa e o Brasil deveriam ser mais proativos em orientar turistas estrangeiros.

O cientista defende que uma campanha global para educação dos turistas tenha início logo, pois em 6 de dezembro o sorteio define onde as seleções vão jogar.

Muitos turistas começam a planejar suas viagens a partir daí e precisam receber informação sobre como identificar sintomas da doença e orientações para usar repelente e roupas compridas.

O cientista sugere que haja reforço em ações de combate ao mosquito nessas cidades, com fumigação de inseticidas perto dos estádios.

Segundo Hay, autoridades de saúde local também precisam estar atentas para o risco de torcedores trazerem novas variedades do vírus da dengue para dentro do país.

"Certamente, com muitas pessoas chegando, existe o risco de novos tipos do parasita serem trazidos. A probabilidade de eles se estabelecerem é então relacionada à quantidade de mosquitos no local", diz o cientista à Folha. "Se o controle for intenso antes da Copa, isso iria beneficiar não só torcedores de fora, mas brasileiros também." Segundo o infectologista brasileiro Artur Timerman, a preocupação não é exagero, e o governo precisa ser mais transparente. "Em 2013, podemos estarmos vivendo nosso maior surto de dengue", diz. O último levantamento federal indica que o país já teve até agora 1,46 milhão de casos relatados em 2013, com 573 mortes, índice maior que os dos três anos anteriores.

Turistas terão orientação, diz ministério

"O Brasil já tem um programa permanente de combate à dengue, então não vamos fazer nada só para turista que vem para a Copa", diz o secretário nacional de vigilância em saúde, Jarbas Barbosa, que classificou como "completamente equivocado" o artigo na revista "Nature".

Segundo ele, já está pronto o plano do Ministério da Saúde para informar turistas sobre o risco da doença. Isso não significa, diz, que o país esteja sujeito a um surto grande de dengue em 2013.

O programa inclui cartazes e panfletos com informações para exibição em aeroportos e pontos turísticos. Hotéis serão orientados a relatar casos de hóspedes com sintomas.

Mas Barbosa contesta Hay e diz que, mesmo no Nordeste, o pico de transmissão vai ficar longe da Copa. Segundo o secretário, a média de casos por 100 mil habitantes em Natal, Fortaleza e Salvador esteve abaixo de 30 nos últimos 5 anos, e a OMS só sugere que seja emitido alerta acima de 100 casos.

Para ele, não há risco de introdução de novo subtipo de vírus no país, que já abriga as quatro variedades humanas.
 

Fonte: Folha de S. Paulo
Autor: Rafael Garcia

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700