Menu Principal

fecha o menu
Experiências exitosas de farmacêuticos no SUS

Notícias Gerais

Bactérias intestinais e remédios

Data: 22/07/2013

A interferência de bactérias normalmente presentes na flora intestinal na ação de alguns remédios já era conhecida. Como acontecia, entretanto, era desconhecido.

Na revista "Science" de ontem, Henry J. Haiser e colaboradores explicam como a bactéria "Eggerthella lenta" inativa a ação da digoxina, um conhecido e antigo medicamento para o coração.

Nesse estudo, os autores mostram que a "E. lenta" reduz a concentração da digoxina e que a arginina (um importante aminoácido) inibe essa reação.

Antes desse trabalho, o mecanismo molecular da redução da digoxina e os fatores da ação microbiana na droga eram desconhecidos.

Dessa forma, as variações na dieta das pessoas podem explicar a variabilidade na ação do remédio.

Como o espectro de ação da digoxina é muito estreito, doses baixas podem não atuar e altas podem intoxicar.

Em 1785, na Inglaterra, o sucesso de um charlatão com a garrafa de uma planta fez um médico estudar o milagroso líquido. Ele observou que o extrato da "Digitalis lanata", popularmente conhecida como dedaleira, intervém na atividade cardíaca.

Ao longo desses mais de 200 anos, a planta tem sido empregada, em suas várias formas, para a insuficiência cardíaca e arritmias. Inicialmente, ela era um extrato de alto risco pela facilidade de provocar intoxicação, mas o problema foi controlado na sua dosagem por comprimidos e ampolas.

Fonte: A interferência de bactérias normalmente presentes na flora intestinal na ação de alguns remédios já era conhecida. Como acontecia, entretanto, era desconhecido
Autor: Julio Abramczyk

Fotos Relacionadas

Vídeos















Newsletter

Cadastre-se em nossa newsletter para receber notícias direto no seu e-mail



Copyright © 2008 Conselho Federal de Farmácia - CFF. Todos os direitos reservados.

SHIS QI 15 Lote L - Lago Sul / Brasília - DF - Brasil - CEP: 71635-615

Localização

Fone: (61) 3878-8700