15/08/2019 - Farmacêutica do SUS ajudou a criar políticas públicas na Bahia

A farmacêutica Geruza Maria Carneiro Morais da Cunha foi uma das homenageadas com a Comenda do Mérito Farmacêutico, oferecida pelo Conselho federal de Farmácia (CFF) pela grande contribuição à saúde pública do Estado da Bahia. A farmacêutica-bioquímica se formou na década de 1970 e, na década de seguinte, participou de uma grande mudança pela qual passou o Laboratório de Saúde Pública da Bahia, sob direção da Dra Ayda Costa.

Naquela época, com o corpo dirigente todo de farmacêuticos, houve a implantação de controle de qualidade e também implantação da biossegurança. "Um grupo chegou a ser criado para unir esforços com laboratórios de São Paulo, Minas Gerais e Curitiba, o que promoveu um impulso no seguimento pelo país – conseguindo, inclusive, instituir o financiamento próprio para os Lacens".

O trabalho resultou em reconhecimento nacional após o Ministério da Saúde realizar um ranking para classificar os laboratórios centrais do Brasil. “Nós ficamos como o segundo melhor laboratório de saúde pública do país. Perdemos apenas para o Adolfo Lutz porque, na época, tínhamos poucos doutores e mestres e Adolfo Lutz você sabe que é um celeiro de mestres e doutores", destaca Geruza da Cunha.

Por ter conseguido descentralizar o diagnóstico de carga viral, cd4 e cd8, no estado da Bahia, o trabalho da Dra Geruza Morais da Cunha também recebeu reconhecimento do Grupo de Pessoas Vivendo com Aids. "Elas precisavam viajar do norte da Bahia até Salvador para realizar o tratamento. É um estado grande", lembrando de como a iniciativa influenciou na qualidade do tratamento de pacientes que possuem esse diagnóstico.

Mesmo se aposentando em 2009, a profissional foi convidada a assumir a coordenação do Centro de Controle de Zoonoses, onde ajudou a diminuir o índice de infestação de Aedes Aegypti que era de quase quatro para 1,2. Em seguida, assumiu a diretoria de vigilância em saúde, e a diretoria de assistência do Município de Salvador.

Dra Geruza Morais da Cunha diz que seu sentimento é de dever cumprido. "Acredito que todo cidadão tenha obrigações com a sociedade: a própria universidade foi criada para isso, para que se criasse mais um grupo de pessoas que pensasse e agisse em prol da sociedade. Eu me formei na universidade pública e sinto essa obrigação de devolver para a sociedade além do meu trabalho técnico também a minha dedicação enquanto cidadã de ver as coisas melhorarem”, conclui.

A profissional, que ainda está com 66 anos, diz acreditar que consegue trabalhar bem até os 75 e que, por isso, está pronta para o próximo desafio. Após receber a homenagem do Conselho Federal de Farmácia, Dra Geruza se diz satisfeita. “Me sinto envaidecida, recompensada, sei que fiz um bom trabalho, não tenho modéstia. Foi um grupo que começou esse trabalho e levou à frente, mas, eu fiz a minha parte bem feita. Me sinto honrada pelo reconhecimento da entidade que me representa.”

A Comenda do Mérito Farmacêutico destaca profissionais que prestam serviços relevantes à profissão e às comunidades e são exemplos da atuação farmacêutica, em todos os Estados do Brasil. Geruza Maria da Cunha foi indicada pelo conselheiro federal de Farmácia da Bahia, o doutor Altamiro José dos Santos, para receber a homenagem.

Ouça esse e outros áudios na rádio do sistema CFF: www.newsfarma.org.br

Fonte: CFF

Fotos Relacionadas