18/06/2009 - FFA e Fepafar discutem situação da profissão, nas Américas

O Presidente do Conselho Federal de Farmácia (CFF), Jaldo de Souza Santos, embarcou, na manhã de hoje (18.06), para San Jose, capital da Costa Rica, onde participará das reuniões das Executivas do Fórum Farmacêutico das Américas (FFA) e da Federação Farmacêutica Pan-americana (Fepafar).

Os problemas do setor, nas Américas do Sul e Central, decorrentes basicamente da ausência dos serviços profissionais, nas farmácias comunitárias e nos programas de saúde pública, serão alguns dos temas em debate, durante os encontros, que serão realizados, de 19 a 21 deste mês.


Dr. Jaldo, que é Vice-presidente do FFA – o órgão é sediado, atualmente, na Costa Rica – informou que o uso irracional de medicamentos, a ausência de farmacêuticos nas farmácias particulares (comunitárias) e na saúde pública; a desatualização do ensino de Farmácia e a carga horária insuficiente dos cursos são alguns dos problemas mais gritantes do setor, na América Latina.


Outra questão apontada por Souza Santos como preocupante é a inexistência, em alguns países, de colégios farmacêuticos, que regulamentem e zelem da ética profissional. “No Brasil, temos o CFF, mas, em alguns países, há um vácuo, nesse sentido. Ali, os farmacêuticos não são obrigados a se inscrever junto a um órgão congênere, não se submetendo, portanto, à fiscalização ética”, lamentou.


O Brasil, observou o Presidente do CFF, “possui problemas agigantados, proporcionais à sua dimensão continental, mas está buscando resolvê-los, o que o faz um exemplo para o Continente”, concluiu Dr. Jaldo de Souza Santos.


Pelo jornalista Aloísio Brandão,
Assessor de Imprensa do CFF.


 

Fonte: CFF
Autor: Assessoria de Imprensa do CFF

Fotos Relacionadas